Inteligência Artificial: O que é e como afetará o mundo da terapia?

Inteligência artificial é um termo usado com frequência na atualidade. Muitos especialistas consideram o fenômeno como um passo determinante para a evolução da espécie humana, nos permitindo analisar volumes expressivos de dados rapidamente para tomarmos as melhores decisões para atingir um objetivo determinado. Outros profissionais, no entanto, ressaltam que os avanços em inteligência artificial também apresentam um grave risco à espécie humana devido ao ritmo de autoaprendizagem acelerado desses sistemas.

Mas afinal, o que é inteligência artificial?

Existem diversas definições para o termo. Uma versão simplificada pode ser: processos feitos por um computador ou máquina que se assemelhem ao pensamento humano. Em outras palavras, todo software (programa de computador) que tiver funções analíticas similar às dos seres humanos pode ser considerado como uma ferramenta de inteligência artificial.

Como a inteligência artificial ajuda a espécie humana?

Imagine o trabalho que existe para provermos comida, energia, saúde e transporte para todas as pessoas de uma cidade. Considere o número de fatores, interesses e condições que precisam ser considerados para termos certeza de que esses recursos estão sendo aplicados da melhor forma possível. É muito difícil prever com confiança se faltará algo ou se estaríamos alocando os recursos da melhor forma.

Agora imagine que exista um sistema inteligente que saiba, por exemplo, quais são as decisões com a maior probabilidade de aumentar o acesso da população inteira a todos esses recursos. Em um ano de seca, qual é a melhor forma de alocar água? Em um ano de surto de febre amarela, qual é a melhor forma de distribuir vacinas? E se recebermos novas informações que podem afetar nossa decisão, como reavaliar todos os fatores ao mesmo tempo? Ainda que seres humanos consigam tomar decisões sobre esses e outros assuntos, a diferença entre um sistema de inteligência artificial e um ser humano é a capacidade de dados que o sistema consegue processar em pouco tempo.

Hoje em dia, a inteligência artificial é aplicada em diversas ciências e indústrias (saúde e produção, por exemplo) e serviços. O Google, por exemplo, possui um sistema de inteligência artificial altamente sofisticado que o permite procurar imagens e falar de forma similar a seres humanos.

Como a inteligência artificial pode ser uma ameaça para a espécie humana?

Ainda que a inteligência artificial traga muitas aplicações positivas na sociedade, existem riscos que não podem ser ignorados. O empreendedor Elon Musk, fundador de empresas como Tesla, SpaceX e Neuralink, explica que alguns tipos de inteligência artificial, denominados general AI (inteligência artificial geral), trazem o perigo de fugirem do controle humano, o que poderia trazer consequências desastrosas.

Imagine, por exemplo, que existisse um sistema altamente evoluído com o objetivo de aumentar a felicidade humana. Inicialmente, qualquer um diria que é um bom objetivo a ser alcançado. No entanto, o que aconteceria se esse sistema interpretasse felicidade humana com o aumento de dopamina e seratonina (substâncias que aumentam a sensação de bem-estar) no cérebro e forçasse todas as pessoas a receberem doses destas substâncias? A consequência seria desastrosa! O grande desafio se encontra em impedir que esse sistema implementasse uma decisão que seria prejudicial à sociedade.

Como a inteligência artificial afetará o mundo da terapia?

A depressão e a ansiedade têm um custo enorme para a sociedade. Estima-se que 3 em 10 funcionários do Brasil sofrem de burnout e são afastados do trabalho ou reduzem sua produtividade (International Stress Management Association). De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a depressão será a principal causa de afastamento do trabalho em 2 anos e pesquisadores da Universidade de Dresden, na Alemanha, estimam que os custos econômicos globais de transtornos mentais seja de 2,5 trilhões de dólares.

Esses dados refletem que a demanda da nossa sociedade para cuidados de saúde mental aumentará no futuro porvir e existem empresas que já possuem aplicações de inteligência artificial nesta área. Um exemplo é o site Woebot, que usa princípios de terapia cognitivo comportamental para falar com pessoas e ajudá-las a se sentirem melhores. Se forem detectados padrões que indicam que a pessoa está em situação de risco, o sistema encaminha uma lista de contatos para quem a pessoa pode chamar e conseguir ajuda humana.

Na medida em que a tecnologia avança, o uso de inteligência artificial será cada vez mais presente em nossas vidas, pois ainda que haja limitações, esses sistemas cada vez mais conseguirão substituir a execução de tarefas de seres humanos. Isso não deve ser visto como algo necessariamente ruim, pois aumentará o acesso de muitas pessoas a serviços de qualidade antes indisponíveis. No entanto, é uma consequência natural de nossa evolução que precisaremos nos adaptar para vivermos bem neste mundo novo.

A OrienteMe oferece terapia online a qualquer momento, conectando pessoas a terapeutas qualificados que passaram por um processo seletivo de três etapas. A plataforma usa a tecnologia para facilitar o acesso a profissionais que podem nos ajudar a lidar com os desafios do cotidiano. Se você precisar de apoio, faça o cadastro e fale ainda hoje com seu terapeuta.